Google+ */?>
  • Artigos
  • Carreira
5 situações em que o melhor é mesmo estar calado

5 situações em que o melhor é mesmo estar calado

17 de Junho de 2014

É habitual vermos nas redes sociais, artigos ou fotos que nos mostram frases motivadoras de várias personalidades que reconhecemos como líderes. Todos temos amigos que partilham, certo? Por outro lado, estes grandes líderes mostram também dominar o contrário. Eles sabem, que em determinados momentos, a coisa mais inteligente a ser feita, é estar calado.

Não nos basta, lembrarmo-nos do conselho muitas vezes dado pelas nossas mães, que mais vale estar calado quando não temos nada de bom para dizer. Existem momentos especiais, fruto de um trabalho, quer sejam em percursos profissionais ou pessoais, que, mesmo depois de chegarmos a certo patamar, basta-nos dizer algo de errado, ou apenas dizer algo, para perdermos tudo que tínhamos construído.

Aqui ficam 5 situações, em que o melhor é mesmo ficar de boca fechada:

1. Quando numa negociação o outro lado começa a afundar-se sozinho

Há pessoas que não precisam de ajuda para se ‘enterrarem’. Se estivermos serenos, nem precisamos de dizer uma palavra para ver a negociação resultar em nosso favor. Basta sair do caminho deles e não atrapalhar.

2. Quando fazes uma pergunta

E aquelas pessoas que conhecemos que numa conversa fazem as perguntas e dão as respostas logo de seguida? Não deixam sequer a outra parte responder, ou apresentar o seu ponto de vista? Há também aquelas situações em que nem consegues tão pouco fazer-lhes uma questão: a meio da pergunta já estão a gesticular e a dizer ‘sim, sim’, ‘certo, certo,certo’.

Lembrar sempre: podemos observar muito apenas observando e podemos aprender muito apenas ouvindo.

 3 . Quando não percebes nada daquilo que estás a falar

O silêncio pode ser algo estranho. A maior parte das pessoas tenta preencher o silêncio, falando muitas vezes sobre coisas das quais não percebe. Quando tentamos preencher o silêncio indevidamente, o que acaba por acontecer, é cavarmos o nosso próprio buraco.

Tenta gerir bem as alturas em que tens efetivamente de te pronunciar. Há situações em que o nosso pragmatismo com respostas curtas é valorizado. E não corremos o risco de dizermos algo que pode ser usado contra nós.

 4. Quando queres que o mérito de algo vá para outra pessoa

O antigo Presidente americano Truman, disse uma vez, que, nós conseguimos e podemos fazer praticamente qualquer coisa, se não nos importamos quem recebe o mérito. Habitualmente é fácil conseguir tal feito. Basta ficar tranquilo ‘no teu canto’, e dar o tempo suficiente para fazer alguém ‘chegar-se à frente’. Há pessoa sedentas de protagonismos e não pensam duas vezes em assumir como delas o mérito de outrem. Neste caso, pode haver situações em que nos dá jeito efetivamente que outra pessoa assumaa autoria de algo. É só ficar tranquilo, os abutres aparecem logo e nem sabem o que estão a comer.

 5. Quando, em vez de partilhar, começas a gabar tudo o que fazes

Aqui, conseguimos ver muitos exemplos nas redes sociais. Será normal ver pessoas a postar tudo sobre o que comem de saudável, as férias espetaculares, as maratonas que correm, tudo o que fazem com os namoradas(os), etc.

Uma coisa é partilhar, outra é gabar, e tudo tem limites. Se achas que ultimamente tens-te encaixado na última, é altura de refrear os ânimos.

  • Artigos Relacionados