Google+ */?>
  • Artigos
  • Carreira
  • Motivação
Desempregado? 5 coisas que não podes deixar de fazer

Desempregado? 5 coisas que não podes deixar de fazer

31 de Maio de 2013

Conheces o ditado, “Enviar currículos é um trabalho a tempo inteiro!”?

Esquece-o!

Estás desempregado? O que deves fazer?
Candidatar-se a empregos para os quais não estás qualificado (que é feito por 50% das pessoas que procuram emprego!) é contra-produtivo para a tua procura de trabalho. A concorrência é muito feroz. Mesmo os candidatos qualificados não estão a receber respostas!
Então, o melhor é parar de se candidatar a tantos postos de trabalho, e a planear o teu tempo de forma a ficar mais ‘contratável’.
Aqui estão 5 formas de o fazer:

 1. Voluntariado

Ser voluntário pode aumentar as hipóteses de seres contratado se pensares nisso com alguma estratégia. És um Professor desempregado? Podes ajudar com programas extracurriculares na escola ou voluntariares-te para ser assistente num centro de explicações. Web designer? Encontra um local sem fins lucrativos que tenha necessidade de um re-design e oferece os teus serviços pro bono. Através do voluntariado em lugares relevantes, manténs as competências intactas, melhoras o currículo e podes ser reparado por alguém que goste do teu trabalho e te possa contratar.

2. Mantém as tuas competências atualizadas

Se estás a concorrer para empregos para os quais não tens a competência necessária ainda bem desenvolvida, o melhor é passares tempo a melhorar essa competência.
Tira proveito de cursos online grátis e de outras ferramentas online acessíveis, como vídeos, etc.. Se te sentes mais à vontade em formações, procura formações e workshops grátis na área que procuras melhorar.
Por outro lado se tens essa competência mas estás ‘destreinado’, procura uma forma de a treinar. Competências ‘atrofiadas’ são uma grande preocupação para os recrutadores, por isso se as treinares ficas mais bem preparado para eventuais testes práticos em processos de recrutamento.

 3. Rede de contactos

Em relação à rede de contactos ou networking, 2 questões básicas: restabelecer contactos antigos e estabelecer novos contactos. tendo em conta o ponto da tua carreira, o ‘restabelecer’ contactos pode significar entrar em contacto com professores universitários, consultores e supervisores de estágio, ou pode significar entrar em contacto com antigos colegas, chefes e parceiros de negócios.

Encontra-os, envia um e-mail ou liga a combinar um café ou um almoço. Vê como eles estão, explica como te poderão ajudar ou pergunta se conhecem alguém que pode ajudar-te.
Mais importante ainda, o acompanhamento!

Se achas que não te safas com os contactos antigos, já sabes – Faz novos! Ir a eventos de networking da tua universidade, área profissional, cidade e assim por diante. E considera olhar para além dos eventos de networking tradicionais. Vai a palestras, iniciativas municipais da tua cidade, ou mesmo os bares onde achas que tenha gente interessante. Cada um deles oferece uma oportunidade para conhecer pessoas com interesses semelhantes, e ainda te divertes ao mesmo tempo.
Mais uma vez, acompanhar os contactos! Constrói pontes, não paredes.

 4. Freelance

Alguns candidatos a emprego opõem-se a toda e qualquer oferta que não seja a tempo inteiro. Se costumas fazer isso, está na hora de mudar essa mentalidade. Trabalhar como freelancer é uma ótima forma de aumentar competências, currículo, portfólio, rede de contactos, rendimentos e confiança.

 5. Construir a tua presença online

És facilmente encontrado online? Começar um blog ou um site, aperfeiçoar os perfis nas redes sociais, criar um portfólio on-line para mostrar o seu trabalho é muito importante.
Pesquisa as empresas nas quais estarias interessado em trabalhar e inscreve-te nas sua redes, segue-os no Facebook, LinkedIn e Twitter. Se conseguires encontrar pessoas importantes dessas empresas, segue-os também online. Tenta saber o que eles debatem online, para poderes despertar o interesse deles através da tua presença online e dos conteúdos que partilhas, etc.

Qual o pior cenário? aprendes o que é importante para eles e usas essas informações para adaptar a tua candidatura a uma posição que abra na empresa deles.

Bom cenário – podes conseguir estabelecer um relacionamento com alguém que vai recomendar-te para a posição, e/ou informar-te em primeira mão de vagas que possam abrir!

Melhor cenário de todos – podes conseguir impressionar tanto alguém ao longo do tempo que poderão criar um trabalho para ti ou convidar-te para uma entrevista sem compromisso.

Agora pensa! O que estás a fazer de momento para te tornares mais ‘contratável’?

 

  • Artigos Relacionados