Google+ */?>
  • Notícias
  • Sociedade
Dinamarca: que valores salariais para viver e trabalhar neste país?

Dinamarca: que valores salariais para viver e trabalhar neste país?

15 de Novembro de 2017

Já ouviste falar em hygge? Provavelmente, sim. Chamam-lhe o segredo para o povo dinamarquês ser um dos mais felizes do mundo. Trata-se de uma filosofia do país escandinavo que, tal como a palavra saudade, não tem tradução, mas que se pode expressar em várias situações: beber um chá quente à frente da lareira, ter tempo para apreciar um bom livro ou estar reunido com os amigos… Se a Dinamarca era já um dos países europeus mais atrativos no que toca a emigração, o hygge veio adicionar pontos quanto toca a escolher um destino para viver e trabalhar fora de Portugal.

 

Mas, falando em dados quantitativos, o território dinamarquês tem muitos aspetos que o tornam uma boa opção de emigração: tem bons salários, assim como bons sistemas de saúde e de educação públicas, além de serem um país com uma boa corrupção e serem defensores da igualdade entre homens e mulheres. Segundo os entendidos, os dinamarqueses têm também uma ótima qualidade de vida. Mas qual será o custo de vida na Dinamarca?

O país não tem estipulado um salário mínimo, embora o valor médio pago por hora ronde os 14€. Os trabalhadores dinamarqueses trabalham uma média de 37 horas semanais, o que perfaz cerca de 2000€ mensais. No entanto, há que contar com os descontos são bastante elevados (às vezes, acima dos 50 por cento). De acordo com o site Numbeo, na capital Copenhaga, um salário líquido médio poderá rondar os 2700€.

Tomando Copenhaga como exemplo, falemos no alojamento. A oferta é menor do que a procura, o que faz com que os preços sejam muito elevados. Quem estiver a pensar arrendar, há que ter em atenção a necessidade de pagar caução e/ou depósito, o que poderá representar, pelo menos, três meses de renda. Segundo dados do Numbeo, um T1 no centro da cidade poderá ficar por 1200€, enquanto, nos subúrbios, os valores baixam para os 860€. Já as despesas básicos, como água, eletricidade e aquecimento, poderão roubar cerca de 190€ ao orçamento mensal.

Embora a rede de transportes públicos dinamarqueses seja boa, a bicicleta é dos meios mais populares… Assim, sempre é possível poupar algum dinheiro (um passe mensal ronda os 55€). Se o exercício com a bicicleta não for suficiente, uma mensalidade no ginásio custar-te-á cerca de 35€ e o aluguer de uma hora (ao fim-de-semana) de um court de tenis fica por 23€. Ainda na área de lazer, um bilhete de cinema ronda os 14€.

Falando em comida, comecemos pela opção de ir fora. Uma refeição num restaurante normal será à volta dos 17€, mas, se quiseres ir a um restaurante com uma gama um pouco mais alta, já poderás pagar 80€ por duas pessoas. Uma cerveja dinamarquesa de 0,5l fica por seis euros, enquanto uma garrafa de 0,33l de cerveja importada ronda os 5,40€. E em casa? Um litro de leite não chega a um euro, 500g de pão fresco custam mais de 2,40€ e um quilo de bife ultrapassa os 11€.

Agora que tens alguns dados sobre o custo de vida na Dinamarca, faz as contas. Se compensar, o hygge está à tua espera!

  • Artigos Relacionados