Google+ */?>
  • Notícias
  • Sociedade
Viver e trabalhar na Suécia. Compensa emigrar para este país nórdico?

Viver e trabalhar na Suécia. Compensa emigrar para este país nórdico?

6 de Novembro de 2017

Os países nórdicos sempre foram um destino predileto quando se pensa em mudar de país em busca de melhores condições de vida e trabalho. Suécia, Finlândia e Noruega são conhecidos pelas suas economias fortes, onde os trabalhadores ganham salários altos e as regalias existentes são um motivo de atração.

 

Dos três países nórdicos, a Suécia é, provavelmente, o que mais fascina quem é de fora: as diferenças entre os extratos sociais é a menor possível (é óbvio que o diretor de uma fábrica ganha mais que um operário, mas a diferença salarial é menor do que em Portugal) e a educação e cuidados de saúde são totalmente gratuitos… A qualidade de vida sueca é falada em todo o mundo, assim como a forma de organização da sua sociedade.

Para equacionar se vale a pensar mudares-te para a Suécia, tens que fazer as contas ao custo de vida do país. À primeira vista, pensa-se que será mais elevado que em Portugal. Por isso, será que compensa viver na Suécia? Suponhamos que pretendes começar uma nova vida na capital Estocolmo. O salário mínimo ronda os 2245€ líquidos (ou seja, já com o desconto de mais de 32% de impostos – sim, a taxa é menor do que em Portugal!).

Embora os salários sejam altos, o custo de vida também o é. No que toca a arranjar alojamento em Estocolmo, a tarefa é árdua: por vezes, é mais fácil arranjar emprego do que casa, visto que, na cidade, há um défice residencial muito grande! Alugar um T1 no centro da capital pode custar-te cerca de 1185€, enquanto se optares por um apartamento da mesma tipologia mas fora do centro poderá rondar os 800€. Quanto às despesas mensais, para um apartamento com 85m2 serão à volta dos 65€.

Depois do emprego e do apartamento, terás que fazer compras para a casa. Independentemente do hipermercado que escolheres, o preço médio dos produtos não varia muito: um litro de leite ultrapassa um euro (cerca de 1,1€), um quilo de arroz fica por 2,7€, 500g de pão de forma custa 2,3€ e um quilo de peito de frango 11€. De facto, são valores que diferem bastante do preço praticado em território nacional, mas, mais uma vez, há que relativizar tendo em conta os salários elevados.

Se quiseres comer fora, prepara-te para pagar: um jantar num restaurante de média gama para duas pessoas pode ficar por 73€, ir ao MacDonalds ultrapassa os 7€, 500ml de uma cerveja local vai custar-te mais de seis euros e um cappucino 3,7€. Uma garrafa mineral de água das pequenas (0,33l) ficará quase por dois euros! Falando em lazer, uma mensalidade de ginásio poderá ficar por 41€ e comprar um bilhete de cinema 12,6€…

De acordo com dados do site oficial da Suécia, estima-se que uma pessoa solteira e sem filhos gasta em média cerca de 1.270€/mês. Agora que sabes os indicadores básicos, faz as tuas contas e, caso compense, Suécia, here we go!

  • Artigos Relacionados